26 julho 2010

A SUA BOLSA NO TWITTER

Ou seria “O Twitter na sua Bolsa?” Tanto faz. Acabo de descobrir uma nova aplicação para essa maravilhosa ferramenta que é o Twitter. A notícia esta lá: "O Globo", 12 de Julho, 2010 : “No Twiter, mais de 50 mil seguidores do lucro – Investidores criam redes de troca de informações pelo microblog. Corretoras e empresas também usam site”. Em breve estaremos lendo divertidas histórias de investidores arruinados por aplicações feitas em Bolsa de Valores baseadas em dicas obtidas no Twitter. Vai ser moleza. Informações relativas ao comportamento das ações na Bolsa serão postadas com a rapidez que se espera de uma sociedade cibernética. Empresas, corretoras e investidores darão suas notícias, opiniões e dicas, nessa ordem, e sem palavreado inútil posto que o tweet está limitado a sei lá quantos “toques”. Com alguns clics você vai conhecer as empresas que vão bem, as que vão mal, as que não vão e as que já foram. Não haverá mais “inside information” porque todos ficarão sabendo de tudo a todo instante. Essa é a essência do Twitter que , segundo leio, tem ganho até eleições. O aplicador principiante poderá beneficiar-se com as dicas generosamente divulgadas pelo veterano matreiro. O veterano matreiro, que não precisa de ninguém, poderá rir das perguntas ingênuas dos novatos. As corretoras ficarão sabendo o que pensam os investidores – quando eles forem sinceros, obviamente – e aperfeiçoarão seus métodos de caça ao cliente. Uma festa! Mas, atenção! A notícia informa ainda que: “ ... as dez corretoras brasileiras mais ativas no Twitter têm boa influencia e popularidade no mundo dos microblogs ... mas ainda são muito limitadas quando se trata de interagir com os seguidores”. É compreensível. O novo filão do mundo financeiro acabou de ser descoberto – ou inventado. Levará algum tempo para mostrar que é muito divertido. Ou talvez esse tempo não seja necessário se prestarem atenção às advertências contidas na própria noticia. O Diretor de uma prestigiada corretora ... “lembra, no entanto, que existem certas limitações para as corretoras atuarem no Twitter. Há regras de divulgação de informações que precisam ser respeitadas, o que limita a interação. ... Os investidores usam nossas informações para tomar decisões sobre investimentos”. Assim é fácil. Com laptop, uma conexão Wy Fi e o Twitter, debaixo do seu “ombrellone” na praia ou no deck da piscina do seu clube, você poderá expedir ordens de compra e venda de ações, encher a cara, e acordar no dia seguinte para recolher os lucros – ou prejuízos. Para terminar, uma pequena nota da CVM – Comissão de Valores Mobiliários: A instituição informa que não tem Twitter “mas já pediu cautela sobre o fluxo de informações na ferramenta”. Eu sei o que você vai me dizer. Que muita gente já fez fortuna com aplicações em bolsa. Concordo. Mas esses é porque nasceram com o calcanhar virado pra lua. E, falando francamente, se você nasceu com o calcanhar virado pra lua, pra que você precisa do Twitter?

Nenhum comentário: